quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Ossada Antiga é Encontrada Durante Obra na Praça São Francisco

Escavações para a retirada da ossada (Foto: Cleverton Silva, 2009).

Embora pareça notícia de página policial, tais descobertas são comuns em sítios históricos como a Praça São Francisco, candidata a Patrimônio da Humanidade. Desde a semana passada, a Praça São Francisco está em obras, e nesta quarta-feira, 25 de novembro, os operários que trabalham nas obras de substituição da fiação aérea pela terrestre, uma das recomendações da UNESCO para que a Praça se torne Patrimônio da Humanidade, encontraram um esqueleto humano soterrado abaixo da pista, entre o Museu Histórico de Sergipe e a capela do Lar Imaculada Conceição.

Bacia e membros inferiores do esqueleto. No momento, crânio, tórax e braços já haviam sido removidos (Foto: Elisângela Pareti, 2009).

Este não é o primeiro achado do tipo. Há cerca de um ano, antes da mesma obra sofrer paralisação, outra ossada foi encontrada nas proximidades deste último, ganhando repercussão na mídia televisiva sergipana. A Praça São Francisco integra a acrópole da cidade, ou seja, a parte alta, como consequência do modelo de urbanização europeu, que destinava à parte alta das cidades a função de abrigar edifícios dos poderes oficial, religioso e residências de famílias abastadas; enquanto a parte baixa abrigava atividades portuárias, comerciais e abrigava a população mais humilde.

A comunidade acompanha curiosamente os trabalhos de remoção, uma verdadeira aula de arqueologia (Foto: Cleverton Silva, 2009).

Essa segregação social do espaço, traduzida em partes alta e baixa, antes da existência de cemitérios e na época em que realizar enterros nas proximidades das igrejas era comum, torna a Praça São Francisco e outros logradouros da cidade verdadeiros sítios arqueológicos potenciais. Hoje, dia 26, arqueólogos acabaram de remover a ossada em trabalho iniciado pela manhã. A ossada, junto com outras que vierem a ser encontradas, ficarão sob guarda do Governo do Estado até realização de uma missa dedicada aos restos mortais e enterro, já que neste caso estes esqueletos não poderão permanecer expostos.

Cleverton Silva

2 comentários:

  1. Caro Cleverton,
    já conhecia seu blog, e o visito diariamente - apesar de ser este o meu primeiro comentário...
    De resto, desejo a você que continue com este trabalho de pesquisa e divulgação de todas as coisas relativas ao patrimônio sancristovense, e confesso também estar ficando apaixonada POR São Cristóvão...
    Beijao!
    Maíra Ielena

    ResponderExcluir
  2. Bom, muito bom! melhor a cada postagem, companheiro!

    ResponderExcluir